Sites Grátis no Comunidades.net Criar uma Loja Virtual Grátis
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese




ONLINE
1





Partilhe esta Página



 

Radiogospeljesuseluz Jesuseluz

Criar seu atalho

 
 

 

 

-------------------------

 Flag Counter

o senhor e nossa vitoria

/////////////--

 

 

 
 
014 9709 3195 ouvinte n>

              

 

 

 

 


Large Visitor Globe

///////////

 


   

              

 

 

 

 

 


contador de blog

 

 


Total de visitas: 29727
Feliciano lamenta decisão de Dilma
Feliciano lamenta decisão de Dilma


Feliciano lamenta decisão de Dilma em sancionar o PLC 03/2013

O deputado federal Marco Feliciano usou o Twitter para mostrar insatisfação com a decisão tomada pela presidente Dilma Rousseff em sancionar o PLC 03/2013 que determina uma série de atendimentos obrigatórios a serem feitos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em casos de violência sexual.

Feliciano, que é presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM), pediu veto parcial ao projeto solicitando apenas a alteração do inciso IV que fala sobre a “profilaxia da gravidez”, pois no entendimento do deputado, sem identificar qual é o procedimento a ser usado o texto dá margem para a autorização do aborto.

Pelo Twitter o deputado voltou a explicar seus motivos para ter pedido o veto do texto, o mesmo pedido feito por entidades religiosas como a CNBB, Federação Espírita do Brasil, Fórum Evangélico Nacional de Ação Social e Política, Movimento Nacional da Cidadania pela Vida Brasil e outras que defendem a vida.

Além de criticar a falta de compromisso da presidente, que durante a campanha eleitoreira de 2010 garantiu que não aprovaria o aborto, o presidente da CDHM contestou o fato da lei ampliar o atendimento para vítimas de estupro para vítimas de sexo não consentido.

“Não há como comprovar que o sexo foi sem consentimento… É a palavra da mulher que engravidou e pronto. No estupro há [como comprovar]! Houve violência. Foi feito denúncia imediatamente. A lei já protege a mulher vítima de estupro”, diz.

Feliciano vê que há diferença entre estupro e a afirmação de uma relação sexual sem consentimento, o mesmo que a Instituição Pró-Vida, ligada à Igreja Católica, percebeu quando se pronunciou sobre o projeto de lei que acabara de ser encaminhado para a Presidência.

“Se estupro e sexo sem consentimento é a mesma coisa, porque o texto do projeto fala de um e outro separadamente? Engodo!”, escreveu Marco Feliciano.

Após a aprovação do projeto o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, anunciou que duas correções neste texto serão feitas por meio de outro projeto de lei que será apresentado pela presidente.

A nova proposta vai corrigir os erros de interpretação que o texto atual poderá causar, a primeira delas será esclarecer o que é violência sexual e a segunda deixar claro que o procedimento a ser usado na “profilaxia da gravidez” é o uso da pílula do dia seguinte, medicamente que deve ser usado em até 72 horas após a relação sexual para evitar que o óvulo seja fecundado.

http://noticias.gospelprime.com.br/marco-feliciano-dilma-pl-03-aborto/